Enchentes no RS: 44 pessoas seguem desaparecidas e há 172 mortos

Eldorado do Sul, município vizinho a Porto Alegre, e o mais afetado pelas enchentes registradas no Rio Grande do Sul, com cerca de 32 mil moradores atingidos, ganhou hoje um gabinete do governo do Estado. A medida, anunciada pelo vice-governador Gabriel Souza, foi criada para apoiar as ações de reconstrução da cidade, e a retomada de aulas e serviços de saúde.

Serão enviados à cidade equipamentos para limpeza urbana, como retroescavadeiras. O prefeito Ernani Gonçalves informou que é urgente a desobstrução da rede de esgoto e a limpeza das ruas, que acumulam lixo e entulho. Um projeto debatido entre o governo estadual e o federal, prevê a construção de um sistema de diques para evitar inundações no município.

Falando sobre a situação do Rio Grande do Sul, de acordo com o último boletim da Defesa Civil, 44 pessoas seguem desaparecidas e 172 perderam suas vidas. Já o número de mortes por leptospirose aumentou para 13, segundo o Centro de Vigilância em Saúde do Estado. Outros sete óbitos pela doença são investigados.

Aos poucos, a capital gaúcha tenta voltar ao normal. E uma boa notícia é que a Estação Rodoviária de Porto Alegre deve voltar às atividades na sexta-feira.

Também vale citar a chegada ao estado a primeira remessa das duas mil cestas básicas encaminhadas pelo Ministério do Esporte para atletas e paratletas gaúchos e seus familiares. No total, serão entregues cinco mil cestas, o que equivale a 100 toneladas de alimentos, que vão ajudar os esportistas, que também tiveram as atividades prejudicadas com a calamidade pública.